Alugar casas: cuidados que você deve ter antes de fechar contrato

Cuidados ao alugar uma casa

 

Se você nunca alugou um imóvel antes, se prepare: além de visitar pessoalmente o local, é importante prestar atenção em alguns detalhes que fazem toda a diferença no bolso no final do mês, para se preocupar apenas em curtir a casa nova. “Em primeiro lugar, pense na condição financeira da família e escolha uma casa ou apartamento que se encaixe dentro do orçamento”, aconselha Ricardo Pereira, do blog Dinheirama. Se você ainda não faz um planejamento do orçamento doméstico, veja como começar.

O ideal é reservar até 1/3 do seu salário para a moradia – ou seja, se o seu salário bruto é R$2 mil, o máximo que é recomendado gastar com aluguel é R$667. Assim, você deixa uma folga no orçamento para pagar o condomínio, contas de luz, água, telefone, supermercado, TV a cabo, escola das crianças, entre outros gastos fixos e variáveis. Além de planejar o orçamento e visitar o imóvel pessoalmente, há outros fatores importantes a considerar, como a localização do imóvel, que costuma encarecer bastante o preço do aluguel e dos serviços na vizinhança.

Depois da mudança, vem a preocupação com a mobília e eletrodomésticos essenciais para a casa – e dá-lhe dinheiro para conseguir comprar tudo! Quando for mobiliar a casa, dê uma olhada em nossas dicas para montar uma casa nova com economia.

Veja a seguir algumas dicas importantes do Ricardo para você alugar sua nova casa sem ter imprevistos no orçamento nem surpresas desagradáveis:

Fique de olho nos preços praticados no mercado

Ouça sempre a opinião de profissionais do ramo imobiliário antes de fechar qualquer negócio, pois boa parte dos aluguéis são cobrados com o percentual próximo de 0,8% do valor do imóvel – uma porcentagem que varia de acordo com a região, mas na maioria das vezes funciona para comparação. Se o aluguel cobrado estiver muito acima disso, o melhor a fazer é procurar mais para encontrar um preço mais justo.

Conheça seus direitos e deveres como locatário

Com a nova Lei do Inquilinato vieram várias mudanças – como, por exemplo, se houver atraso no aluguel de apenas um mês, o proprietário já pode pedir ordem de despejo em 30 dias. Assim, a obrigação da figura do fiador agora perde a importância. A multa rescisória para sair do imóvel antes do final do contrato também fica proporcional ao tempo que falta para o vencimento do mesmo. Conhecendo seus direitos e deveres, fica mais fácil negociar melhores condições para você e sua família.

Lute por um bom contrato

O contrato é a garantia para ambos, e na maioria das vezes, as imobiliárias utilizam contratos padrão cheios de cláusulas “leoninas”, que são apenas boas para o proprietário, ou ainda, obriga quem está alugando a arcar com despesas que seriam obrigação do dono do imóvel – como o famoso Imposto Predial Territorial Urbano, o IPTU. “Se for o caso, busque amparo de um advogado de confiança para não ser forçado a arcar com obrigações que podem ser da outra parte”, recomenda Ricardo.

Conheça a vizinhança

Procure visitar o imóvel que pretende alugar em horários e dias diferentes. “Vá ao imóvel durante o dia, de noite, no final de semana. Você pode descobrir, depois de ter assinado o contrato, que toda quarta-feira acontece, bem na sua rua, uma feira de peixes bem desagradável”, conta Ricardo.

Seja detalhista na vistoria do imóvel

Depois de visitar o imóvel, você decidiu fechar negócio. Durante a visita, tire fotos de todos os cômodos e detalhes que lhe chamem a atenção, e peça para testar torneiras, tomadas e chuveiros, para ter certeza de que tudo funciona perfeitamente. Olhe armários e portas de madeira para ver se não há infestação de cupins e outras pragas, e a condição de carpetes e vedação de janelas. Se depois de se mudar você precisar trocar alguma coisa, terá provas de que o reparo precisa ser feito pelo proprietário, e não por você.

 

O que achou dessa publicação?

  • Não curti

  • Mais ou menos

  • Boa

  • Muito boa!

  • Excelente!

Comentários